Eventos para praticantes de Pilates: mantenha-se conectado!

eventos-para-praticantes-de-pilates

Se você pratica Pilates, uma das formas de se manter conectado com a modalidade é se integrar em grupos de Pilates e organizar eventos para prática de Pilates em locais públicos, como praças e campos abertos.

Pesquise nas redes sociais por grupos na sua área e integre-se com a comunidade. Além de cuidar do seu corpo, estará também fazendo um bem à sua vida social. É sempre bom se conectar com pessoas com o mesmo objetivo e interesse.

Confira abaixo alguns eventos no Brasil para praticantes e também para instrutores.

Eventos para praticantes

Suspensus Experience – 08 e 09 de outubro em Campinas/SP http://congressosuspensus.com.br/

PIC BRASIL – Pilates International Conference – 21 a 23 de outubro de 2016 em Porto Alegre/RS http://pic2016.com.br/

MEETING: Pilates e Treinamento funcional 3a edição – 25 a 27 de novembro de 2016 em Florianópolis/SC http://meetingfloripa.com.br/

Eventos para profissionais

4o Encontro Brasileiro de Pilates – 21 a 23/07/2017 em Campinas/SP http://encontropilates.com.br/

5o Congresso Brasileiro de Pilates – em breve mais informações http://www.cbpilates.com.br/

Em breve mais datas e eventos para você acompanhar!

Rehabilitação: Como o pilates pode te ajudar a caminhar depois de um acidente

rehabilitacao-voltar-a-caminhar-com-pilates

A maioria das pessoas sabe o que é o Pilates – um dos exercícios que mais cresce em popularidade no mundo. E milhões de pessoas ainda experimentarão os benefícios da aptidão física da força, do alongamento, e da agilidade que o Pilates traz.

Mas poucos sabem que o Pilates está crescendo rapidamente em outra área – a reabilitação de lesões.

Muitas lesões são causadas por desequilíbrios musculares no corpo. E muitos fatores causam esses desequilíbrios – nossa postura, a maneira como caminhamos, nos inclinamos, sentamos, deitamos ou trabalhamos – basicamente, a maneira como nos movemos. A maioria de nós se move incorretamente de uma forma ou de outra, o que coloca pressão demais sobre alguns músculos e enfraquece outros, causando um desequilíbrio.

Tome a parte traseira, por exemplo: a maneira que nós nos movemos pode pôr pressão demais na coluna, ao enfraquecer os músculos pélvicos na parte dianteira do corpo ou vice-versa. Qualquer cenário cria um desequilíbrio, o que significa que o corpo é muito mais suscetível a tensões graves, contusões, luxações etc.

Os exercícios de Pilates promovem uma musculatura uniforme em todo o corpo, fortalecendo o core. O core é considerado o “centro” do corpo e consiste nos músculos abdominais profundos junto com os músculos mais próximos da coluna vertebral. O Pilates também enfatiza o alinhamento da coluna vertebral e pélvica, o que é crítico para que nos movamos como devemos para evitar lesões.

Estas são grandes razões pelas quais os fisioterapeutas em todo o mundo estão agora usando o Pilates como uma forma de reabilitação. Kris Bosch, presidente da Northstar Pilates em Buffalo, NY, diz que o Pilates é tremendamente eficaz por outras razões, também.

“Parte de seu sucesso é de fato baseado na abordagem dos princípios de Pilates – força do core, uma musculatura uniforme, etc. Mas outra razão é que ele fornece um maior grau de flexibilidade do que a maioria das formas convencionais de fisioterapia. Exercícios de Pilates podem ser modificados para cada pessoa e ainda serem extremamente eficazes.Você pode ir de movimentos básicos para muito avançados, dependendo de como um paciente precisa de progresso ou quão lesionados estão.

A fisioterapia convencional, por outro lado, envolve frequentemente fazer com que os pacientes façam sets de exercícios que podem ser intensos ou difíceis demais, diz Bosch. Pode ser porque eles causam muita dor, ou talvez eles não estão cientes de como posicionar corretamente seu corpo para o máximo de resultados – algo que o Pilates ensina você a fazer.

Além disso, com o Pilates, os pacientes se tornam responsáveis por sua própria reabilitação. Não é apenas chegar a um terapeuta, deitar e deixá-lo fazer todo o trabalho. Com o Pilates um paciente aprende onde seu corpo está no espaço e identifica a melhor seqüência do movimento. Todos esses fatores contribuem para uma experiência de movimento positivo, o que, segundo Bosch, facilita muito a recuperação.

“Quando você cria uma experiência de movimento positivo, você é capaz de dar um passo adiante, sem dor. Quanto mais você se move sem dor, mais confiança você ganha. E quanto mais confiança você ganha, mais provável é tentar outro movimento. Esse é um ciclo de reabilitação muito saudável.”

A maioria dos exercícios de Pilates são realizados em um tapete ou equipamento chamado Reformer (um carro deslizante dentro de um longo quadro ligado a molas, cordas e polias). Uma das coisas boas sobre o Pilates, diz Bosch, é a maneira que você pode combinar o Reformer e a esteira juntos como uma sólida abordagem 1-2:

“É bom levar os pacientes para o reformer primeiro, porque as molas do Reformer os ajudam a tentar os movimentos. Isso ajuda a corrigir as posturas erradas que provavelmente causaram as lesões, antes de mais nada. Em seguida, conforme eles progridem e não estão mais tendo dor, eles podem usar o tapete para exercícios em casa para continuar sua reabilitação, fortalecer esses músculos e prevenir mais lesões “.

Se você se machucou e está considerando o Pilates para rehabilitacão, é importante certificar-se de que seu instrutor tem experiência com fisioterapia. “Há uma grande diferença entre ensinar Pilates como uma forma de exercício e usá-lo como forma de rehabilitação”, diz Bosch. “Os princípios do Pilates são incríveis para a reabilitação, mas se eles não são usados em conjunto com técnicas de fisioterapia adequada, pode ocorrer um agravamento  da lesão. Antes de começar, certifique-se de perguntar ao seu instrutor se ele ou ela tem treinamento de fisioterapia.

 

Quais são as diferenças entre Yoga e Pilates?

diferencas-entre-yoga-e-pilates

Quase 20,4 milhões de pessoas praticaram Yoga nos Estados Unidos em 2012, de acordo com o The Huffington Post, e esses números são provavelmente ainda maiores agora que o Yoga está mais popular do que nunca.

E o Pilates também está crescendo em popularidade. A boa notícia é que você não tem que escolher entre os dois. Muitas pessoas praticam yoga e Pilates para obter apenas o equilíbrio certo de benefícios.

Yoga vs. Pilates

Pilates: foco na força, tonificação muscular, controle do corpo e flexibilidade, e a ênfase principal é a força do core. Pilates é uma prática disciplinada que precisa ser praticada com uma certa frequência para fornecer benefícios. Se você gosta de um treino mais estruturado sem o componente de cardio, chanting, OMing, ou posturas complexas, este pode ser o treino ideal para você.

Yoga: Por outro lado, a ioga concentra-se na flexibilidade e nos grandes grupos musculares. Ela oferece equilíbrio, resistência, força, espiritualidade e um pouco de movimento físico. As aulas podem variar de suave até desafiadoras. Com toda a variedade, há sempre um tipo de aula e um estilo para cada um. Se você gosta de se mover e você é do tipo de pessoa que gosta de ir com o fluxo, a Yoga pode ser sua atividade ideal.

A combinação perfeita

A questão permanece – você deve praticar Yoga ou Pilates? Por que escolher uma prática quando você pode ter o benefício de ambas? Embora eu pratique Yoga quase todos os dias, eu também incorporo uma ou duas sessões de Pilates em meus exercícios cada semana. Eu aprecio a flexibilidade, a liberdade, e o desafio do yoga, assim como a atenção ao detalhe e ao trabalho abdominal (core) que Pilates fornece.

Considere suas prioridades de aptidão e nível, e construa a sua prática a partir daí. Se você está em grande forma e quer queimar calorias extras e trabalhar na resistência, uma Hatha, Vinyasa, ou Anusara Yoga seria ideal. Se você é um corredor e precisa afinar sua força do core, Pilates pode ser a melhor escolha. A principal coisa é que você deve escolher uma prática que você gosta e que você possa fazer com uma certa frequência.

Conheça a história de Joseph Pilates, o criador do método

Conheça a história de Joseph Pilates, o criador do método

Joseph Pilates, de origem alemã, estava morando na Inglaterra, trabalhando como artista de circo e boxeador, quando foi internado em Inglaterra no início da Primeira Guerra Mundial. Enquanto ainda estava no campo de internamento, ele começou a desenvolver os exercícios de chão que evoluíram para o que agora conhecemos como o trabalho de esteira de Pilates.

Com o passar do tempo, Joseph Pilates começou a trabalhar com a reabilitação de detidos que sofriam de doenças e ferimentos.

Foi invenção nascida da necessidade que o inspirou a utilizar itens que estavam disponíveis para ele, como molas de cama e anéis de barris de cerveja, para criar equipamentos de exercício de resistência para seus pacientes. Estes eram os começos improváveis ​​do equipamento que nós usamos hoje, como o reformer e o círculo mágico.

Joseph Pilates desenvolveu seu trabalho a partir de uma forte experiência pessoal em fitness. Insalubre como uma criança, ele estudou muitos tipos de sistemas de auto-aperfeiçoamento. Ele extraiu das práticas orientais e do budismo zen e foi inspirado pelo antigo ideal grego do homem aperfeiçoado no desenvolvimento do corpo, da mente e do espírito. Em seu caminho para o desenvolvimento do Método Pilates, Joseph Pilates estudou anatomia e desenvolveu-se como um construtor de corpo, um lutador, ginasta, boxer, esquiador e mergulhador.

Da Inglaterra à Alemanha para Nova Iorque

Depois da Primeira Guerra Mundial, Joseph Pilates retornou brevemente à Alemanha, onde sua reputação de treinador / curandeiro físico o precedeu.

Na Alemanha, trabalhou brevemente para a Polícia Militar de Hamburgo em defesa pessoal e treinamento físico. Em 1925, foi convidado a treinar o exército alemão. Em vez disso, ele fez as malas e pegou um barco para Nova York. No barco para a América, Joseph encontrou Clara, uma enfermeira, que se tornaria sua esposa. Ele passou a estabelecer seu estúdio em Nova York e Clara trabalhou com ele como ele evoluiu o método Pilates de exercício, inventou o equipamento de exercício Pilates, e, claro, os alunos treinados.

Joseph Pilates ensinou em Nova York de 1926 a 1966. Durante esse tempo, ele treinou um número de alunos que não só aplicaram o seu trabalho em suas próprias vidas, mas se tornaram professores do método Pilates em si. Esta primeira geração de professores que treinaram diretamente com Joseph Pilates é muitas vezes referida como os Pilates Elders. Alguns se comprometeram a passar o trabalho exatamente como ele ensinou. Esta abordagem é chamada de “estilo clássico” Pilates. Outros estudantes passaram a integrar o que aprenderam com sua própria pesquisa em ciências da anatomia e do exercício.

Pilates e a dança

O estúdio de Joseph Pilates em NY o aproximou com uma série de estúdios de dança, o que levou à sua “descoberta” pela comunidade de dança. Muitos dançarinos e pessoas conhecidas de Nova York dependiam do treinamento do método Pilates pela força e graça que desenvolve no praticante, bem como por seus efeitos de reabilitação. Até que a ciência do exercício alcançou os princípios do exercício de Pilates nos anos 80 e o aumento do interesse em Pilates que hoje vemos, se deu principalmente por causa de dançarinos e atletas de elite que mantiveram o trabalho de Joseph Pilates vivo.

O Legado de Joseph Pilates

Joseph Pilates faleceu em 1967. Ele manteve um físico apto ao longo de sua vida, e muitas fotos mostram que ele estava em condição física notável em seus anos mais velhos. Também dizem que ele tinha uma personalidade extravagante. Fumava charutos, gostava de festejar e usava suas cuecas de exercícios onde quer que quisesse (mesmo nas ruas de Nova York). Diz-se que ele era um instrutor intimidador, embora profundamente comprometido.

Clara Pilates continuou a ensinar e dirigir o estúdio por mais 10 anos após a morte de Joseph Pilates. Hoje, o legado de Joseph Pilates é realizado pelos Pilates Elders, e por um grande grupo de professores contemporâneos.

Como fazer Pilates em casa

Pode parecer impossível fazer pilates em casa quando você lembra do tanto de aparelho que um estúdio de Pilates possui. Porém, a verdade é que a modalidade solo é bem possível de ser feita em casa e não requer um alto investimento em aparelhos.

Um colchonete e uma roupa confortável já são suficientes para a prática, mas se você quiser incrementar um pouco, adquira também meias antiderrapantes e uma bola de Pilates.

Veja a seguir uma sequência que você mesma pode fazer na sua casa:

1. Deite-se de bruços com os joelhos dobrados, os pés no chão e os braços nos lados. Expire, enrolando o queixo no peito e levando os ombros completamente para fora da esteira. Segure por 1 respiração, em seguida, abaixe lentamente. Cuidado ao levantar, forçe o abdômen e não o pescoço.

como-fazer-pilates-em-casa-1

2. Deite-se de bruços e leve os joelhos para dentro do peito. Levante a cabeça, o pescoço e os ombros da esteira e estique as mãos pelos lados com as palmas voltadas para o chão. Estenda as pernas em um ângulo de 45 graus com os calcanhares juntos e os dedos separados (a postura de Pilates). Braços para cima e para baixo enquanto respira e inspira através do nariz por 5 contagens cada. Repita para 10 vezes.

como-fazer-pilates-em-casa-2

3. Deite-se de bruços com os braços estendidos para o teto. Expire, enrole o queixo no peito e enrole até a posição sentada com os braços estendendo-se em direção aos pés. Expire e reverta para rolar para baixo uma vértebra de cada vez. Mova-se lenta e suavemente sem avançar ou empurrar.

como-fazer-pilates-em-casa-3

4. Sente-se na esteira com os joelhos direcionados para o peito e os braços enrolados em torno das pernas. Balance para o cóccix com pés pairando alguns centímetros acima da esteira. Inale, rolando de volta para as omoplatas (escápulas), em seguida, expire para rolar para a frente para a posição inicial equilibrada. Use o abdômen para controlar e fazer uma pausa antes de tocar os pés.

como-fazer-pilates-em-casa-4

5. Deite-se de cara para cima na esteira com os joelhos em direção ao peito, as canelas paralelas ao chão na posição de mesa. Expire para levantar a cabeça, pescoço e ombros da esteira. Ao mesmo tempo, estenda a perna esquerda em linha reta em um ângulo de 45 graus e puxe o joelho direito em direção ao tórax. Pegue o joelho direito com a mão esquerda eo tornozelo direito com a mão direita. Mudar as pernas na inspiração, pulso para 1 batida, e trocar as pernas novamente na expiração, mantendo os ombros fora da esteira e o core fazendo a força (abdômen).

como-fazer-pilates-em-casa-5

6. Deite-se de cara no tapete. Levante a cabeça, pescoço e ombros e traga os joelhos para o peito, braços abraçando as canelas. Inale e endireite as pernas até um ângulo de 45 graus enquanto simultaneamente estende os braços ao longo das orelhas. Expire e rode os braços para abraçar as canelas enquanto você retorna à posição inicial. Mantenha os ombros fora do tapete e mantenha a respiração uniforme.

como-fazer-pilates-em-casa-6

7. Deite-se virado para cima na esteira com as pernas estendidas para cima, perpendicular ao chão. Levante a cabeça, o pescoço e os ombros para fora da esteira e leve a perna direita o mais próximo possível do rosto, conforme a flexibilidade permite, segurando levemente a panturrilha direita com ambas as mãos. Puxe a perna direita em direção ao rosto 2 vezes, enquanto a perna esquerda se estende para longe do corpo e paira sobre a esteira, em seguida, repita do outro lado.

como-fazer-pilates-em-casa-7

8. Deite-se de costas no tapete, as mãos atrás do pescoço e cotovelos bem abertos. Levante a cabeça, pescoço e ombros da esteira. Traga a axila esquerda para o joelho direito e estenda a perna esquerda para alta diagonal. Torça para o outro lado e troque as pernas, trazendo a axila direita para o joelho esquerdo e estendendo a perna direita.

como-fazer-pilates-em-casa-8

9. Deite-se de bruços no tapete com as mãos apoiando o pescoço e os joelhos dobrados em direção ao peito. Expire, trazendo o torso superior da esteira e estendendo as pernas em direção ao teto. Baixe as pernas para um ângulo de 45 graus por 3 contagens, em seguida, levante novamente por 1 contagem.

como-fazer-pilates-em-casa-9

10. Deite-se de costas e abrace os joelhos ao peito. Alcance os braços diretamente sobre a cabeça e estenda as duas pernas até a diagonal alta. Estique os braços de volta para as orelhas, em seguida, desloque-os para os pés, rolando até uma posição V. Mantenha os braços e as pernas em um ângulo de 45 graus com a esteira. Desta posição, abaixe e levante pernas de 3 a 5 repetições. Role até a esteira uma vértebra de cada vez, em seguida, as pernas para retornar à posição inicial.

como-fazer-pilates-em-casa-10

Apesar de serem exercícios fáceis de fazer, recomendamos procurar um profissional para montar uma série específica para suas necessidades e para que ele avalie se você está fazendo as posturas e os movimentos corretamente.

Lembre-se, no Pilates, fazer a postura correta é mais importante do que fazê-la rápido. Concentre-se em respirar e fazer o movimento corretamente, não tenha pressa, busque qualidade e não quantidade ou força. Com o movimento certo, os músculos certos trabalham e seu core é fortalecido.

Bom trabalho!